Blog

Oito milhões de palavras traduzidas por dia – coisa de máquina!

Republicação da entrevista de Michele Santiago com Silvio Picinini para o número 2 da revista Metáfrase, de dezembro de 2016.

 

Conversei com Silvio Picinini, responsável pela tradução de máquina para português brasileiro no eBay, com um volume diário de cerca de oito milhões de palavras. Falamos um pouco sobre a trajetória dele e o interesse por MT, o trabalho no eBay como Language Specialist, os desafios e as vantagens ao fazer uso dessa tecnologia, e o futuro da MT.

 

Silvio, obrigada novamente por ter aceitado o convite para esta entrevista. Pode nos contar um pouco da sua trajetória na área da tradução e de MT?

Silvio: Eu traduzo desde 1993. Trabalhei como engenheiro até 1999, mas consegui um emprego de tradutor nos EUA em tempo integral. Trabalhei na JDEdwards/Oracle e depois na Lionbridge (empresa de tradução), onde comecei a explorar MT. E há três anos, só trabalho com isso, no eBay na Califórnia.

Como surgiu o seu interesse na área de MT e como decidiu começar a utilizá-la?

Silvio: Eu trabalhei com software como engenheiro. Talvez venha daí meu interesse em saber como o computador “pensa”, incluindo como pensa sobre os idiomas. E nunca tive nenhuma aversão ao computador me ajudar no trabalho, pelo contrário. Então, começar a usar MT foi só uma questão de saber quando a MT estava boa o suficiente para ajudar o trabalho, em vez de ser um esforço extra. E há alguns anos, a MT passou a somar, em vez de subtrair.

Como freelancer, como você usa a MT a seu favor? Você observa diferenças na produtividade? Se sim, em números, qual é o ganho médio de produtividade que você observou? A que característica atribui esse ganho?

Silvio: A MT ajuda de duas formas: 1. Quando você não tem nenhuma sugestão da TM e 2. Oferecendo alternativas nas quais você não tinha pensado. Eu já notei diferenças da ordem de triplicar minha produtividade, em um cenário bem favorável. EULAs são documentos que têm milhares de traduções na Internet. E foram verificados por experts locais no país. Ao traduzir um EULA, o Google conhece a terminologia melhor que eu e tem uma experiência enorme no assunto. Então, a MT vai fazer um trabalho melhor e me ajudar muito. Mas o ganho depende do assunto, da “experiência” que a MT tem com o assunto que você está traduzindo. Os EULAs são ótimos, assuntos específicos não são. Por essa razão, é difícil falar num ganho médio dissociado do assunto traduzido. Mas eu acho que o ganho existe na grande maioria dos casos. Vale a pena mencionar duas coisas: 1. Algumas empresas treinam os próprios sistemas de MT, usando as TMs que criaram. As sugestões vindas de um sistema desse podem ser muito melhores do que as sugestões de um sistema “genérico” ou “público”. 2. A tecnologia de “Adaptive MT” aprende à medida que você traduz. Não há dúvida de que isso vai ajudar na produtividade.

Quais programas de MT já utilizou e quais utiliza atualmente?

Silvio: Em geral, usei plugins em CAT tools, como a maioria dos tradutores. Bing, Google e a MT da SDL no Trados, todas me ofereceram bons resultados. Em algumas ocasiões, passei o texto por uma ferramenta de MT e trabalhei com o resultado traduzido. Atualmente, trabalho no eBay com nosso próprio sistema de MT, que vou descrever nas próximas perguntas.

Em que consiste o seu trabalho no eBay? Qual o maior desafio e qual a maior vantagem que você encontra nesse trabalho?

Silvio: É importante aqui destacar para os tradutores, que existem muitos tipos de texto que não podem ser traduzidos por tradutores, não competem com o tradutor e não tiram trabalho de ninguém. O eBay é um exemplo disso. Há 1 bilhão de produtos à venda no eBay. Quantos tradutores seriam necessários para traduzir os títulos e as descrições desses produtos para vários idiomas? Pense em resenhas de produtos, ou em qualquer outro conteúdo criado pelo usuário. O volume de conteúdo é tal que somente uma solução automatizada de tradução é possível. É aí que a MT aparece, e é com isso que trabalho no eBay. Meu trabalho é avaliar e melhorar o conteúdo que “treina” nosso sistema para fazer traduções melhores para o português. Ocasionalmente, eu faço alguma intervenção direta na qualidade da tradução. A tradução de “capinha” para os smartphones é boa no eBay, e você pode confirmar o que Google e Bing estão fazendo. Mas o objetivo do meu trabalho é mais geral, é assegurar que as traduções feitas por tradutores estejam em um nível de qualidade bom para treinar o sistema. O maior desafio é a variedade do conteúdo. Você pode encontrar praticamente tudo no eBay. A maior vantagem é a oportunidade de aprender muito sobre MT e de contribuir para criar a melhor MT para e-commerce entre todas as MT existentes.

Na sua série de artigos sobre seis coisas que devemos saber sobre MT e a língua portuguesa, você menciona algumas características da língua e algumas intenções do usuário (como fazer busca por termos já em inglês) que podem comprometer o resultado da tradução de máquina. Por exemplo, os diminutivos e os diacríticos. Pode nos explicar como você resolve esse problema no eBay?

Silvio: Vários problemas de MT vêm do fato de que a MT “nunca viu” a tradução e, portanto, ainda “não aprendeu”. A solução, em muitos casos, é criar mais conteúdo de treinamento para o sistema, para que ele aprenda. Diminutivos fazem parte de uma linguagem informal, que é difícil de encontrar traduzida. Existem muitos manuais bem escritos disponíveis para treinar sistemas de MT, e todos vão se referir de forma elegante à “capa”, à “cobertura” de algo, e raramente à “capinha”. Em outros casos, a MT pode ter uma abordagem um pouco mais sistemática. Por exemplo, sistemas de MT geralmente removem as maiúsculas de tudo, traduzem e então recolocam as maiúsculas de volta. Isto evita que você tenha que ter duas versões de uma palavra, uma maiúscula e outra minúscula, para o sistema aprender. Até agora não foi necessário, mas os diacríticos poderiam ser removidos na mesma linha de raciocínio.

Muitos tradutores acham que a MT vai nos substituir, ou ainda que a tecnologia “nunca vai chegar lá”. Qual a sua posição a respeito de afirmações desse tipo? Como fazer com que os tradutores queiram tirar partido da tecnologia disponível, em vez de temê-la?

Silvio: Eu sempre fui a favor de usar a tecnologia quando ela atinge um ponto em que ajuda. Alguém prefere achar erros ortográficos lendo em vez de usar um corretor ortográfico? Não. E isso é tecnologia. Nós usamos TMs há muito tempo. A MT é uma forma alternativa de sugestão de tradução, diferente das “fuzzy matches”. Escrevi um artigo para a revista Multilingual sobre as diferenças entre os erros que as TMs e os tradutores humanos fazem, comparados aos erros de MT. São diferentes, temos que prestar uma atenção diferente, mas a sugestão de MT é uma sugestão produtiva como as de TMs. Dois pontos: 1. A tecnologia “nunca vai chegar lá”? A pergunta é: qual é a qualidade de que o usuário precisa? Se a qualidade da MT for boa o suficiente para o que o usuário precisa, a tecnologia “já chegou lá”. 2. A tecnologia vai nos substituir? Não, a tecnologia vai nos tornar mais eficientes. Quando não havia TMs, você reescrevia a mesma sentença ou parecida. Com a TM você parou de gastar tempo nisso e teve tempo para pesquisar a melhor terminologia, ou teve mais tempo para melhorar a qualidade da tradução. A tecnologia liberou o talento do tradutor para tarefas que agregam ainda mais valor. E isso é bom.

Você certamente conhece o programa LILT. Já trabalhou com essa ferramenta ou já testou? Quais as suas impressões sobre ela?

Silvio: Eu fiz alguns testes. A tecnologia “Adaptive MT” tem potencial para mudar a forma fundamental com que traduzimos, ao aprender à medida que traduzimos. A ferramenta quebra a separação entre TM e MT, e isso é uma ideia interessante. Quando tudo é sugestão de tradução, não importa muito se está vindo de uma TM ou de um sistema MT. Acho que a ferramenta contribui para acabar com possíveis preconceitos em relação à MT.

Como você vê o futuro da MT e dos tradutores nos próximos cinco anos?

Silvio: [No que se refere aos novos papéis que a Inteligência Artificial vai criar], vários deles são na direção de que vai haver um “profissional de conteúdo linguístico”. O tradutor é o candidato natural a ocupar esses papéis. Eu acredito que tradutores vão ficar mais eficientes, fazer tarefas que agregam mais valor e ocupar novas tarefas que vão surgir.

 

Quer contribuir para o blog? Envie-nos um e-mail para [email protected].

(1) Comment

Deixe um Comentário