Blog

Atualizando o sistema para 2022

Republicação do texto da Alexandra de Vries para o número 3 da revista Metáfrase, de janeiro de 2017.

 

Aproveite o rito de passagem para criar seu próprio momento de “atualização do sistema”.

Nada como um bom primeiro de janeiro para recomeçar, dar um reboot, iniciar um novo capítulo. O ano está apenas começando, e clichês à parte, o prodigioso reinício é realmente uma ótima oportunidade para renovar as energias, reavaliar os hábitos e refletir sobre nossas atividades como profissionais.

Para quem é intérprete no Brasil, o mês de janeiro é também quase sinônimo de baixa temporada. Há poucos congressos e eventos similares, e muitos de nossos clientes estão de férias. Claro que é uma oportunidade que precisamos aproveitar para tirar férias e descansar também – a interpretação exige um enorme esforço mental e físico, e é essencial recarregar as baterias (ver item 10!) –, mas isso não quer dizer que não possamos aproveitar esta época do ano para unir o útil ao agradável e fazer uma bela faxina mental e física: reciclar conhecimento, aprender coisas novas, viajar. Para aqueles que (como eu) têm enorme dificuldade em se impor metas sem um prazo predeterminado ou algum cliente esperando a entrega, aqui vai uma lista rápida com dez sugestões de como aproveitar as férias e começar o ano com o pé direito.

 

1. Faça uma faxina no escritório

 

Quem nunca encontrou a mesa de trabalho entulhada de papéis, folders de eventos, cartilhas e cartões de visita por todos os lados? 

Prevalece o consenso de que um espaço de trabalho limpo e organizado em geral nos ajuda a pensar melhor; a bagunça tira o foco e a concentração (a não ser que seja a sua bagunça, organizada meticulosamente do seu jeito, mas sempre há o que melhorar, não é verdade?). Então, por que não começar com uma limpeza geral? Em vez de cair naquela armadilha de achar que tudo é importante e acabar só refazendo as mesmas pilhas de papéis em outra ordem, faça uma limpeza de verdade. Sem dor, sem glória. O momento é o de se livrar do instinto dos Acumuladores (está aí uma série de TV que ninguém quer protagonizar) e perder o medo de jogar qualquer coisa fora porque pode ser útil algum dia, em algum momento, em algum contexto. Admita que acabou juntando coisas que mal usou e que nunca mais vai usar e se desapegue. 

Se precisar de um pouco de inspiração, leia A mágica da arrumação, de Marie Kondo (Sextante, tradução de Marcia Oliveira). Ela sugere separar suas papeladas e dispensáveis afins em três categorias: o que você usa atualmente, o que será necessário por um período e o que precisamos guardar para sempre. Tudo o que não entrar em nenhuma das três categorias, jogue fora! A regra é pegar em cada papel/objeto apenas uma vez e decidir seu destino imediatamente. Não se assuste caso se empolgue com a arrumação e queira seguir as outras dicas de Marie Kondo para atacar armários, guarda-roupa, cozinha etc. Que comece o expurgo!

 

2. Atualize glossários e recursos

 

Muitos colegas têm uma enorme pilha de papéis, folders, apostilas, glossários etc. dos eventos nos quais trabalharam. Que tal aproveitar para organizar tudo isso e começar a colher os frutos desse conhecimento acumulado? Não sobra muito tempo durante o ano para atualizar nossos arquivos pessoais, e a gente acaba deixando essa parte “administrativa” de lado. Eu, por exemplo, mantenho uma planilha do Excel com todos os eventos que fiz, então o primeiro passo seria utilizá-la com os eventos recentes que ainda não tive tempo de colocar lá. Depois disso, descarto todo o material promocional. Nada de guardar kits com informações e folders que não têm utilidade após o evento. Tudo com terminologia útil vai para a minha pasta de glossários, e termino o processo revisando minhas anotações de terminologia e atualizando meus glossários (no meu caso, hospedados no Google Docs para facilitar o acesso e o compartilhamento com colegas).

 

3. Relaxe (de verdade)

 

Nada melhor que relaxar o corpo e a mente depois de uma boa faxina em casa. A meditação e o relaxamento reduzem o estresse, aumentam a concentração e a clareza mental, ajudam a trazer calma e até melhoram o sono. Para quem não é adepto da prática, há várias formas simples de começar que rendem resultados quase imediatos. Eu gosto muito das “meditações conscientes” (do inglês, mindful meditations): são exercícios guiados de meditação, perfeitos para quem quer meditar sem ter que pensar muito, e que ajudam a relaxar ou a dormir. Este link oferece vários exercícios interessantes (em inglês, mas há exercícios em espanhol também). O YouTube oferece uma infinidade de vídeos com exercícios de relaxamento, música para meditar e para dormir melhor. Divirta-se!

 

4. Afine seu instrumento

 

A voz é o instrumento de trabalho mais crucial do intérprete. Confiamos nela para transmitir mensagens, significados, emoções e a segurança de que sabemos do que estamos falando (não necessariamente nesta ordem de importância). Alguns cursos de interpretação incluem treinamento de voz, oferecendo exercícios para que os intérpretes possam ter mais fôlego, dicção mais clara, tom e timbre mais agradáveis. Aproveite as férias para treinar sua voz ou marcar uma sessão com um fonoaudiólogo. Para quem quiser começar a melhorar a voz com mais tranquilidade em casa, aqui tem uma lista super prática de exercícios muito simples que você pode fazer sem muito planejamento. 

 

5. Trabalhe sua competência linguística

 

Por mais que tenhamos contato diário com nossas línguas de trabalho, nem sempre temos o tempo necessário para aprofundar, reciclar ou expandir nosso domínio dos idiomas com os quais trabalhamos (ou outros). Aproveite as férias para ler livros e revistas, assistir a filmes ou documentários, fazer aquele curso específico que você estava namorando há um tempo ou encontrar outras formas de imersão/aprendizado.

 

6. Recicle seu conhecimento profissional

 

Mesmo intérpretes profissionais com bastante experiência têm muito o que aprender com cursos de interpretação. No dia a dia, não temos muita oportunidade de parar e avaliar o nosso trabalho, receber feedback sincero e qualificado sobre nosso desempenho ou conversar com colegas e professores sobre a parte técnica do que fazemos. Por isso, uma ótima pedida para as férias é fazer um curso de reciclagem. Uma boa opção é o Hi²T (http://www.versaobrasileira.com/), mas há outros cursos similares feitos para profissionais experientes (oferecidos em janeiro justamente para poder acomodar intérpretes profissionais que têm mais tempo livre na baixa temporada) e cursos para intérpretes iniciantes também.

Vale a pena ficar de olho nas associações profissionais de intérpretes e tradutores, que sempre divulgam workshops interessantes com instrutores mundialmente reconhecidos, como Andrew Gillies, Helen Campbell, Michelle Hof e outros.

Há também uma miríade de excelentes recursos on-line para treinar sem sair de casa, incluindo repositórios de discursos em várias línguas e separados por grau de dificuldade. Dê uma olhada nos links a seguir se quiser saber mais:

https://webgate.ec.europa.eu/sr/ 

http://www.speechpool.net/en/ 

http://www.un.org/webcast/ga.html

 

7. Faça cursos on-line

 

Nada mais gostoso do que fazer um curso puramente pelo prazer de aprender: aproveite o ano novo para expandir seus conhecimentos ou explorar novos horizontes. Graças aos MOOCS (Massive Open Online Courses ou “Cursos On-line Abertos de Grande Escala”), temos acesso a aulas das mais renomadas universidades do mundo, como Stanford, Princeton e Harvard, de forma gratuita.

Uma das plataformas mais conhecidas é o Coursera, um portal que oferece uma vasta seleção de cursos on-line gratuitos de diversas universidades em áreas como ciências, línguas, TI, negócios, meio ambiente e muito mais, mas há vários outros “concorrentes” que também oferecem materiais e aulas. A maioria dos cursos são em inglês, o que é ótimo para quem quer aprimorar o idioma enquanto estuda uma nova área de interesse ou recicla uma antiga, mas também há recursos em espanhol e português.

Existem opções brasileiras como o Eaulas da USP e a Unesp Aberta (que na verdade não são MOOCs, não há certificado ou tutoria, mas as plataformas oferecem uma série de aulas on-line sobre diversos assuntos).

 

8. Adquira novas habilidades ou experiências

 

Outra boa alternativa para sair de nossa zona de conforto e ao mesmo tempo relaxar e se divertir é aprender algo novo. Faça um curso, visite uma exposição, aprenda a fazer stand-up paddle, busque um serviço voluntário. Ou faça algo completamente diferente. As opções variam de cidade para cidade, mas a internet é o melhor lugar para começar. Escolha algo que lhe apeteça e vá em frente!

 

9. Inspire-se para buscar a felicidade

 

Um dos livros mais interessantes que li recentemente foi Projeto Felicidade (em inglês, The Happiness Project), de Gretchen Rubin (Sextante, tradução de Patrícia Azevedo). Rubin se dedicou a estudar o que nos deixa mais felizes e planejou um ano inteiro para identificar suas resoluções e transformá-las em comportamentos concretos. Para quem quiser seguir o mesmo caminho da autora, o livro oferece várias ferramentas, incluindo planilhas para ajudar no planejamento e dicas de como manter suas resoluções.

 

10. Pratique a arte de fazer absolutamente nada

 

Às vezes, a melhor maneira de relaxar é fazer absolutamente nada: se desligar dos compromissos, das mensagens, do e-mail e deixar o dia determinar o nosso ritmo (já ouviu falar do Nadismo?) E quando se cansar de fazer nada, quem sabe você não se anime a dar uma olhada nesta lista e começar algum novo projeto?

É isso! Aproveite o rito de passagem para criar seu próprio momento de “atualização do sistema”, curta bastante o momento de merecida paz e feliz ano novo!

 

Quer contribuir para o blog? Envie-nos um e-mail para [email protected].

Deixe um Comentário